sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Desenhista vive de brisa?

Trecho da entrevista de Spacca concedida ao Blog dos Quadrinhos:

“É uma tendência do novato querer aparecer de qualquer jeito. Se bobear, o sujeito até pagaria por isso, especialmente se for jovem, solteiro e se não tiver contas pra pagar. E as mídias mais famosas se aproveitam, exploram. Porém, o profissional uma hora precisa parar com isso. Senão, ele vai divulgar para o próximo cliente, que também vai oferecer divulgação em troca... Onde acaba isso? O desenhista vive de brisa?”

Hoje, duas coisas chamaram minha atenção e motivaram-me a registrá-las aqui, no blog, pois trata-se de algo que vivencio faz tempo. Como estou um pouco revoltado, achei pertinente "desabafar" dessa forma.

Uma das coisas que atraiu minha atenção foi a entrevista de Spacca, concedida ao jornalista Paulo Ramos, sobre seu cartum selecionado no concurso de desenhos promovido pela revista Piauí. O prêmio para o vencedor do concurso, que se repetirá, é a publicação nas páginas da revista e uma estátua do pinguim (símbolo da revista) de porcelana. Só isso, mais nada! Concordo com tudo que Spacca disse. Clique aqui para ler a entrevista completa.

A outra coisa que mexeu comigo foi a tirinha de Angeli publicada no jornal Folha de São Paulo, cujo último quadro reproduzo logo abaixo. Ultimamente, tenho várias idéias para desenhos e projetos, mas não consigo tempo para executar todos eles. Ou seja, fico apenas sonhando, imaginando como ficariam se eu conseguisse, pelo menos, iniciá-los. Me identifiquei demais com o último quadro da tirinha de Angeli. Quem me conhece sabe que, se eu pudesse, passaria todos os dias da minha vida apenas desenhando. Infelizmente, no Brasil, muitos desenhistas precisam trabalhar durante o dia e desenhar só na madrugada, depois de cuidar da família. É triste, mas é realidade! Situação que pode melhorar somente depois que o desenhista lançar um livro com suas ilustrações e, consequentemente, receber ofertas de trabalho que solicitem sua arte. Aí sim, ele poderá largar o emprego e viver apenas de seus desenhos (que serão pagos!). Para ninguém dizer que estou mentindo, sugiro que leiam duas postagens do blog do colorista Rod Reis, aqui e aqui. Se tiver tempo, leia também essa interessante postagem do blog de Alexandre Nagado.

Vida de desenhista é trabalho! Se quer ser profissional, todo desenhista precisa passar horas, sozinho consigo mesmo, produzindo desenhos para mostrá-los ao mundo e torcer para que surjam mais trabalhos. Isso, para mim, não significa sacrifício! Eu adoraria ficar apenas desenhando e desenvolvendo novos projetos! É isso que, um dia, quero e pretendo fazer!

Último quadro da tirinha de Angeli publicada, hoje, na Folha de São Paulo


Postar um comentário